Nível 0 – introdutório

Ai ai… depois de um tempinho de férias, de volta ao trabalho…

Vou dar duas aulas para um aluno iniciante, hoje e amanha, começando do zero. Adoro alunos basicos q não sabem nada. Tudo eh novidade, a gente pode traçar tantos planos de estudo, ver o q interessa pra ele, apresentar um novo mundo…

Um grande problema q existe para o aluno iniciante é q há uma falta de material didático apropriado. A grande maioria dos livros já entra com um conteúdo pesado, como se todos os estrangeiros fossem hispânicos ou já tivessem alguma noção de português. E muitos livros querem abarcar o conteúdo do básico até o intermediário numa publicação só.

Por outro lado, a falta de material apropriado permite q o professor fique livre para escolher a forma de ensinar o conteúdo básico e introdutório.

Eu fiz umas apostilinhas introdutórias, e sempre uso algumas folhas com os alunos. Mas falta ainda organizar tudo direitinho e fazer mais conteúdo para transformar numa apostila de verdade.

Acho q todo aluno iniciante poderia ter algumas aulas introdutórias tanto de língua como de cultura brasileira. As explicações sobre a cultura poderiam ser ministradas no idioma dele, ou em alguma língua q ele entendesse bem. Já as aulas introdutórias de língua poderiam ser parte em português, parte na língua dele. Acho q na situação de entrar em contato inicial com uma nova língua, algumas coisas têm de ficar bem claras, por exemplo, em que situações pedir desculpas, falar “por favor”, como tratar as pessoas (usando “o senhor”, “a senhora”, “você”, etc.), etc.

No nível introdutório, o mais importante seria um contato saudável com esse novo universo cultural e lingüístico. Como ter aulas de etiqueta quando a gente vai pra um país diferente, por ex. Não há necessidade de falar a língua para se virar relativamente bem em algumas situações típicas.

Nesse nível, o aluno seria capaz de fazer atividades cotidianas, como fazer compras, pegar ônibus/metrô/táxi, pedir informações na rua (como chegar a algum lugar), mesmo sem entender as estruturas gramaticais ou cada vocabulário. Acho q é perfeitamente possível se virar com um guia de conversação, desde q o aluno tenha algumas noçoes prévias de polidez e convenções sociais locais.

Para esse nível introdutório, creio q poucas aulas já bastariam (1h ~ 5hs de aula).

O conteúdo seria baseado em situações gerais e específicas. Seria interessante ter um conteúdo escrito para o aluno consultar, com exemplos e diálogos possíveis, e uma apresentação em vídeo para melhor compreensão e fixação. Ambos com tradução e explicações na língua do aluno. Para praticar, poderiam haver simulações de situações, com o complemento de aulas práticas.

8 Responses to “Nível 0 – introdutório”

  1. Fernanda Says:

    Olá, estava lendo o seu blog e achei bem interessante. Queria trocar umas ideias com você, pois vou comecar a ensinar português para minha amiga que nao tem nocoes básicas nenhuma e gostaria de umas dicas suas. Caso vc tenha interesse me escreva.
    Abracos
    Fernanda

  2. Beth Ishikawa Says:

    Legal, Fernanda!
    Logo logo entro em contato!
    bjos

  3. Jorgea Says:

    Oi,
    Hoje começo a dar aulas de conversação/portugues para uma estrangeira e estava procurando na internet material sobre isso e quase não existe nada. Achei muito intertessante suas dicas e gostaria de saber se você tem alguma dica de perguntas para o primeiro dia.
    Obrigada,
    Jórgea

  4. Carlos Says:

    Ora viva…sou professor de portugues LE, em Macau, na China, ensinando crianças dos 6 aos 12. Me interesso muito pela partilha e troca de ideias sobre o ensino do português como língua estrangeira. Quem sabe nao poderemos trocar alguns materiais didácticos e opiniões. Deixo o blog que estou construíndo sobre este assunto, para o caso de terem curiosidade. Saudações asiaticas e no caso de me quererem contactar e so deixar recado no blog ou mandar mail.

  5. Aline Says:

    Olá, acho q estou no caso dos colegas acima. Também começarei a dar aulas pra estrangeiros, e gostaria de saber os livros didáticos que vc indica e os que vc tem crítica. Vi a resenha de um q traz como nota “cultural” o seguinte comportamento da mulher brasileira: são “violent romantically” e não respeitam nem se o homem é casado ou está com a namorada. Absurdo! Ainda em tempo, vale também dizer q adorei a sua dica das primeiras aulas… será que vc poderia dividir esse material(apostila)?
    Grata!

  6. B. Says:

    Muito agradecida a todos q postaram comentarios aqui!
    Infelizmente agora nao estou com tempo pra blogar nem pra escrever muito para cada um de vcs.
    Quanto ao material, nao tenho apostilas para compartilhar no momento.
    bjos!

  7. A. Giovanini Says:

    Realmente, é incrível a escassez de material adequado para se ensinar português do Brasil para estrangeiros. Os portuguese estão muito mais avançados. Estou com um aluno que planeja morar no Brasil e por isso está fazendo um intensivão de port. (de 6 a 8 horas por dia). E em poucas semanas vou começar a lecionar para crianças (7 a 12 anos). Alguma sugestão???? Eu também estou elaborando uma apostila para adultos. Aceito idéias e opiniões. Obrigada.

  8. Tania Says:

    Ola, sou brasileira e meu marido é Sueco, veio morar no Brasil, eu adorei, conversamos apenas em Ingles, mas é chegado o momento de ele aprender portugues, alguem teria uma dica de material ao qual devo seguir, pois nao faco ideia por onde comecar. Aceito sugestoes

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: